FibraResist usa resíduo de cana-de-açúcar como matéria-prima

Share
O Brasil é o maior representante mundial do setor sucroalcooleiro. Fonte: Embrapa

A empresa brasileira FibraResist enxergou uma nova oportunidade no resíduo de cana-de-açúcar para o desenvolvimento de um material biodegradável e inovador.

Na Economia Circular os materiais integram dois tipos de processos produtivos: os ciclos técnico e biológico.
 
No ciclo técnico circulam materiais considerados nutrientes técnicos, que não são produzidos de forma contínua pela biosfera – os não renováveis, tais como os metais e plásticos. Já o ciclo biológico envolve materiais obtidos de matéria renovável e que são biodegradáveis e retornam como nutrientes biológicos aos ecossistemas.
O Brasil é o maior representante mundial do setor sucroalcooleiro. Fonte: Embrapa

Com uma produção anual de cerca de 728 milhões de toneladas, o Brasil destaca-se como o maior produtor mundial de cana de açúcar. Além disso, foi pioneiro na produção de açúcar e etanol a partir da cana. Já existem no Brasil iniciativas que utilizam o resíduo da cana de açúcar como biocombustível para a geração de energia, no entanto, utilizar a palha da cana de açúcar como matéria prima é uma inovação conquistada pela FibraResist. A empresa é a primeira indústria do mundo a produzir a matéria-prima do papel a partir da palha de cana de açúcar, um dos resíduos da produção sucroalcooleira.

A planta industrial está localizada em Lençóis Paulista, no centro oeste do estado de São Paulo, com uma área total de 60 mil m². As primeiras pesquisas da extração da celulose da palha de cana começaram em 2009 e o processo produtivo em escala industrial teve início no primeiro semestre de 2017.

Planta da FibraResist em Lençóis Paulista/SP. Fonte: Fabrício Garcia

A indústria estabeleceu uma parceria com empresa especializada na colheita da palha, que credencia mão de obra qualificada para a retirada da matéria prima nas propriedades rurais, com especificações técnicas predeterminadas pela indústria para garantia da qualidade dos produtos.

O processo consiste na separação da celulose da palha de cana de açúcar a frio por meio de uma tecnologia pioneira de um agente químico biodispersante, que retira a lignina da palha da cana e mantém apenas as fibras de celulose que formarão a pasta celulósica. Esta pasta torna-se matéria prima para a fabricação de papéis de baixa gramatura (guardanapos, jornais e papel higiênico), papel kraft, cartolina, cartão e utilizada na composição de outros papéis.

A pasta celulósica produzida pela FibraResist possui uma coloração natural por não haver processo químico de clareamento, originando um papel mais escuro usado na produção de embalagens e produtos que necessitem de fibra virgem.
Autora: Tainá Bimbatti

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo a postagem

Participe da Nossa Aula ao Vivo!

Entenda a mudança de olhar que vem inspirando uma nova geração de projetos - e como colocá-la em prática! Vai ser nos dias 23 e 24 de agosto.

Você vai aprender como identificar produtos e projetos realmente circulares. E, se pretende desenvolver seus próprios projetos ou produtos, vai ter novos instrumentos e inspiração para aplicar esse pensamento na prática! Para participar, é só se inscrever abaixo:

    Respeitamos a sua privacidade! Você pode se descadastrar a qualquer momento.