Herman Miller: parceira e pioneira da metodologia Cradle to Cradle

Share
cadeira mirra da herman miller - desmontada

A Herman Miller é uma empresa de móveis presente e reconhecida no mundo todo. fundada em 1905, hoje  está entre os quatro principais fornecedores da indústria de móveis de escritório nos Estados Unidos. E o que nos fez trazer este exemplo para o blog: a Herman Miller foi também pioneira na aplicação prática dos princípios Cradle to Cradle em sua linha de produção.

Ações ambientais

De acordo com dados da empresa, suas primeiras ações ambientais foram tomadas em 1989. Naquele ano foi fundada uma equipe de ação de qualidade ambiental. A primeira iniciativa da empresa para reduzir seu desperdício foi criada em 1991.

E foi graças a essa visão ambiental que, em 1997, a empresa teve contato com o MBDC, empresa criada por William McDonough e Michael Braungart. Naquela época, eles procuravam empresas para implementar seu recém-desenvolvido protocolo Cradle to Cradle (C2C). A ideia era trabalhar com a ideia de eco-efetividade dentro da cultura de negócios. Após alguma negociação entre as partes, a Herman Miller foi a primeira empresa a ter o protocolo Cradle to Cradle aplicado de forma prática em seus processos produtivos.

Em resumo, o protocolo previa:

  • estabelecer um ciclos de recuperação de valor para nutrientes biológicos e nutrientes técnicos,
  • realizar avaliações  químicas de todos os materiais usados ​​e sua categorização de acordo com o impacto sobre a saúde humana e ambiental, ao nível molecular
  • projetar produtos para desmontagem simples, permitindo o conserto e recuperação dos componentes
  • e, por fim, aumentar a capacidade de reutilização, usando material reciclado e, principalmente, reciclável.

Cadeira Mirra: Design Inovador

Mirra, cadeira da herman miller
Como resultado, em 2001 começou a ser pensado o primeiro produto desenvolvido a partir da  metodologia Cradle to Cradle: a cadeira de escritório Mirra. Para chegar a ela, foi preciso superar uma série de desafios.

A Herman Miller a princípio precisou convencer e orientar fornecedores quanto à fabricação do produto e seus componentes. Precisou ao mesmo tempo trabalhar em conjunto com outros parceiros e ainda esbarrou no problema de como aplicar a logística reversa em seus produtos. E aceitou o desafio de eliminar o PVC da composição dos braços da cadeira, buscando alternativas mais saudáveis.

Em contrapartida, durante a análise química dos componentes da cadeira, ficou claro que os elementos selecionados seriam mais baratos depois de serem redesenhados, o que, apesar do alto investimento inicial,  no longo prazo traria economia para a empresa.

Composição da Mirra

G'rafico detalha os materias usados na cadeira da herman miller

Como se vê pelo gráfico acima, a cadeira Mirra é composta por aço, plástico, espuma e fibra de vidro.

Cada material foi estudado cuidadosamente para otimizar as propriedades de saúde e reutilização.  Por exemplo, os componentes de aço têm cerca de 33% do seu conteúdo de aço reciclado. Além disso, todo o aço da Mirra 2 é 100% reciclável.

Além disso, na parte dos plásticos, os componentes são identificados com um código de reciclagem para ajudar a devolver esses materiais ao fluxo de reciclagem. Analogamente, o PVC foi eliminado da composição  da cadeira – esse tipo de plástico, ainda que reciclável, não é aceitável pelos padrões C2C de saúde de materiais. Isso porque o PVC gera subprodutos tóxicos na sua fabricação, uso e incineração – como dioxinas, furanos e ftalatos. Então, ao invés do PVC, os braços são feitos do poliuretano termoplástico, material mais seguro e que pode ser reciclado até 25 vezes.

As tintas também são de baixa emissão de compostos orgânicos voláteis (COV). Por fim, a espuma e os materiais têxteis fazem parte de um sistema de malha aberta, sendo destinados para reutilização na indústria automobilística.

E, aliás, não é só nos materiais que a Mirra serve de inspiração para outras indústrias. O processo produtivo utiliza 100% de energia renovável e não tem emissões nocivas ao ar ou à água.

Cradle to Cradle e Herman Miller: fazendo as perguntas certas

cadeira mirra da herman miller - desmontada
componentes da cadeira mirra – herman miller

Dessa forma, a adoção da metodologia Cradle to Cradle permitiu à empresa formular as perguntas certas para orientar o processo de inovação e melhoria contínua de seus produtos:

Quais são os produtos químicos contidos nos materiais? Eles são os mais seguros disponíveis?

Nesse sentido, a empresa tenta identificar todos os componentes de um produto, até os que representam 0.01% do produto (em peso). Isso quer dizer que podem ter que buscar as origens de um material por vários níveis de fornecedores. Por exemplo, o fornecedor que fabrica um componente plástico da cadeira, o que fabrica o plástico para aquele componente, e o que fabrica o pigmento para colorir o plástico.

É possível desmembrar os produtos com facilidade para consertar ou recuperar o valor de seus componentes e materiais?

Os produtos devem poder ser desmontados com ferramentas comuns. Idealmente, uma pessoa deve levar menos de 30 segundos para reverter uma conexão. Mais do que isso, e a peça pode acabar em um aterro.

Os materiais contêm matérias-primas  recicladas e, mais importante, podem ser reciclados com qualidade no final da vida útil do produto?

Os materiais devem ser homogêneos – ou seja, sem misturar dois tipos diferentes de materiais de forma a prejudicar a reciclabilidade. Além disso, os plásticos e outros materiais devem ser devidamente sinalizados com códigos para reciclagem, para que possam ser encaminhados – especialmente em países que o sistema de recuperação de produtos da empresa não atinge.

Assim, respondendo a essas perguntas é possível fazer a revisão dos materiais químicos dos produtos da empresa, além da desmontagem e da capacidade de reciclagem. Também se leva em consideração a destinação e fabricação das embalagens e sua geração potencial de resíduos, bem como a realização de testes de durabilidade de seus móveis. Atualmente, cada cadeira Mirra tem um período de garantia de 12 anos, que inclui não apenas a troca de qualquer parte danificada, como também de componentes elétricos, cilindros pneumáticos, e outros mecanismos presentes na cadeira.

A garantia cobre o custo dos componentes e sua manufatura e, para residentes dos Estados Unidos e Canadá, também todos os custos associados ao serviço de troca.

Inspiração

Trouxemos esse caso por ser um exemplo igualmente clássico e bem-sucedido de aplicação da metodologia C2C. Mas é claro que nenhum exemplo é perfeito. Pois mesmo estando à frente de seus concorrentes, a Herman Miller – como todas as empresas que estão tomando iniciativas semelhantes – ainda tem muito a caminhar na transição para um futuro circular. Mas é claramente uma empresa comprometida com a melhoria contínua de seus produtos e processos, em termos de circularidade e também saúde humana e ambiental. E acreditamos que é importante reconhecer empresas de diversas áreas que já aplicam os princípios circulares na prática, e que podem servir inclusive de inspiração para novos projetos e demonstrar que esse é um processo desafiador, porém possível para todos.

Webinário

Gostou deste exemplo e quer saber mais sobre Cradle to Cradle e economia circular? Participe do nosso webinário gratuito nos dias 03 e 04 de abril:

5 estratégias para reconhecer e aplicar a economia circular: entenda a mudança de olhar que vem inspirando uma nova geração de projetos ecológicos – e como colocá-la em prática!

Vamos trazer outros exemplos de aplicação concreta da metodologia Cradle to Cradle e do design circular, além de dicas e critérios para colocar essas ideias em prática nos seus próprios projetos.
Para participar, basta reservar seu lugar aqui.

Referências:
C2C CENTRE. Companies & organisations: Herman Miller. Disponível em: <http://www.c2c-centre.com/company-and-organization/herman-miller-ltd>. Acesso em: 28 fev. 2019.
C2C CERTIFIED. Herman Miller: inspiring designs to help people do great things. Disponível em: <https://www.c2ccertified.org/innovation-stories/herman_miller>. Acesso em: 28 fev. 2019.
C2C CERTIFIED. Mirra® 2 herman miller, inc.. Disponível em: <https://www.c2ccertified.org/products/scorecard/mirra_2>. Acesso em: 28 fev. 2019.
DESKO. Environmental product summary from herman miller: mirra chair. Disponível em: <https://www.desko.nl/index.php?dispatch=attachments.getfile&attachment_id=648>. Acesso em: 28 fev. 2019.
HERMAN MILLER. A warranty is a promise. here’s ours: 12 years, 3 shifts, labor included. Disponível em: <https://www.hermanmiller.com/content/dam/hermanmiller/documents/policies_legal/hm_warranty_us_and_canada.pdf>. Acesso em: 28 fev. 2019.
HERMAN MILLER. All about the molecules: Sustainable products require sustainable materials. Disponível em:< https://www.hermanmiller.com/content/dam/hermanmiller/documents/solution_essays/SE_Molecules.pdf Acesso em: 28/ fev. 2019.
LEE D., BONY L. Cradle to Cradle Design at Herman Miller: Moving Toward Environmental Sustainability. Casestudye: Herman Miller. 2007 Disponível em http://www.c2c-centre.com/library-item/cradle-cradle-design-herman-miller-moving-toward-environmental-sustainability . Acesso em: 28/ fev. 2019.
ROSSI, M. et al. Design for the Next Generation: Incorporating Cradle-to-Cradle Design into Herman Miller Products. Journal of Industrial Ecology, EUA, v. 10, n. 4, p. 193-210, 2006. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1162/jiec.2006.10.4.193>. Acesso em: 28 fev. 2019.

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo a postagem

[livro gratuito] 28 estudos de caso:
design e inovação para a economia circular no Brasil e no mundo