5 exemplos brasileiros de Moda Circular

Share
Moda Circular. Fonte: Insecta Shoes
Moda Circular. Fonte: Insecta Shoes

A moda circular é um termo que vem sendo usado para descrever empresas e iniciativas que repensam os processos produtivos das nossas roupas e acessórios para a economia circular. Essas iniciativas têm criado produtos e modelos de negócio que mantêm o valor dos materiais em circulação por vários ciclos, através de reparo de peças, remanufatura ou reciclagem, ou ainda que possibilitam seu retorno saudável para a biosfera. 

Isso é mais do que necessário, já que, no modelo linear atual, o setor têxtil e da moda é responsável por um cenário de consumo e descarte em massa, que contribui para a poluição do solo, ar e água. Só no Brasil, são produzidas 9 bilhões de peças novas e descartadas 4 milhões de toneladas de resíduos têxteis por ano. Além disso, essa indústria foi responsável por 8% de todas as emissões de gases do efeito estufa do mundo em 2018.

A indústria da moda também emprega um alto volume de materiais híbridos, misturados e não recicláveis, além de utilizar substâncias tóxicas no processo de fabricação e coloração das peças. Como por exemplo a produção do couro que, além de depender da pecuária e emitir carbono para a atmosfera, tem um processo de tratamento que contamina a água com cromo, uma substância tóxica e cancerígena.

Esse cenário de poluição é agravado pelas estratégias de fast fashion, em que grandes empresas que dominam o mercado incentivam o consumo, o rápido descarte, a geração de resíduos (em grande parte tóxicos) e condições degradantes de trabalho.

Apesar desse quadro complicado, ainda existem soluções possíveis para reverter esse cenário! Neste post, você vai entender como a moda circular oferece soluções que mantêm o valor dos materiais têxteis em circulação, prolongando o uso de materiais e peças, evitando o descarte e planejando, desde a concepção, novos ciclos para os materiais e produtos.

Moda circular: o lixo é um erro de design!

A economia circular surge como uma nova forma de pensar o nosso futuro, separando a prosperidade econômica e o bem-estar humano do consumo crescente de novos recursos. Para isso, os materiais circulam no máximo de seu valor, em sistemas industriais integrados e regenerativos.

Em um sistema circular, eliminamos o conceito de “lixo”, já que resíduos se tornam nutrientes para novos processos. Nessa lógica, ao invés de serem “jogados fora”, os produtos ou materiais precisam ser desenhados para serem reparados, reutilizados, compartilhados, atualizados ou reinseridos em novos ciclos com qualidade igual ou superior.

Para praticar a moda circular, é preciso primeiro entender a importante diferença entre o ciclo técnico e o ciclo biológico – uma das principais bases da metodologia Cradle to Cradle (do Berço ao Berço) e da economia circular.

A seguir, você vai conhecer alguns exemplos de moda circular aqui no Brasil, que já aplicam na prática os princípios circulares e oferecem produtos ou serviços adaptados a cada um desses ciclos.

Ciclo técnico: upcycling e aluguel de roupas

Quando pensamos no ciclo técnico, trabalhamos com materiais não-renováveis, como plásticos e metais, que podem circular em ciclos industriais fechados. Assim, eles mantêm o seu valor para a indústria, sem contaminar a biosfera. 

Aplicando o princípio do ciclo técnico na moda circular, podemos pensar principalmente em soluções de upcycling, processo que reaproveita os materiais disponíveis nos produtos sem perda do seu valor ou da sua qualidade. Outra solução é o compartilhamento, no qual a empresa é dona dos produtos e trabalha com o seu aluguel.

Ciclo biológico: materiais biodegradáveis

Já quando pensamos no ciclo biológico, falamos em matérias primas renováveis, em que materiais e produtos devem ser desenhados para retornarem seu valor para o solo ou para a natureza. Para isso, apenas substâncias seguras, saudáveis e compostáveis, sem risco de contaminação para a biosfera, devem ser usadas.

Aplicando o princípio do ciclo biológico na moda circular, podemos pensar principalmente em soluções que utilizam materiais renováveis e compostáveis. Assim, roupas, acessórios e sapatos podem ser reabsorvidos pela natureza – uma vez que sua composição é completamente natural e saudável.

1. Revoada

Moda Circular
Moda Circular. Fonte: Revoada

A Revoada é uma empresa que transforma materiais como câmaras de pneu e tecidos de guarda chuvas descartados em produtos como jaquetas, carteiras e bolsas de alta qualidade. Nesse exemplo de moda circular, a Revoada trabalha o design e a logística reversa de seus produtos, fechando os ciclos em sua cadeia produtiva e defendendo o slow fashion na indústria têxtil e da moda.

As câmaras de pneu, que têm resistência e aparência semelhante ao couro, dão vida a mochilas, bolsas e carteiras. Já os tecidos de guarda-chuvas são recuperados e transformados em forros para essas peças, ou em jaquetas impermeáveis.
Se você quiser saber mais detalhes da Revoada, a gente já entrevistou as fundadoras aqui no blog, vale a pena conferir!

2. Transmuta


Moda Circular. Fonte: Transmuta

A empresa curitibana Transmuta trabalha com a moda circular através do upcycling de roupas usadas. Usando designs criativos, a Transmuta agrupa roupas descartadas e cria novas peças, oferecendo novos ciclos aos materiais que seriam descartados e trabalhando o upcycling na moda.

A Transmuta também tem o projeto de um aplicativo, ou dossiê digital, para acompanhamento da história das peças de roupa. Eles informam quais outras roupas foram usadas para costurar essa nova e também todas as pessoas envolvidas nesse processo, desde a pessoa que garimpou as roupas, passando pelas costureiras e até o designer. 

Além desse rastreamento das origens e processos das roupas, o aplicativo também informa sobre como retornar as roupas, para que elas sejam destinadas aos próximos ciclos. Assim, além de reaproveitar roupas usadas, a Transmuta também coloca em pauta a questão da responsabilização da empresa pela destinação dos seus materiais para os próximos ciclos.

3. Circulô

Moda Circular
Moda Circular. Fonte: Circulô

A Circulô é uma empresa de aluguel de roupas de bebê, com uma proposta de trazer a moda circular através de roupas práticas, sustentáveis e sem gênero. As peças são produzidas localmente com algodão Pima orgânico e algodão sustentável com certificado BCI e circulam por diferentes famílias e bebês – já que bebês e crianças acabam crescendo muito rápido e facilmente perdendo roupas novas que não servem mais.

Dessa forma, a empresa propõe o aluguel e compartilhamento dessas peças ao invés de comprar novas constantemente. Conforme o bebê vai crescendo, você retorna as peças pra empresa e troca por outras no novo tamanho. Em média as roupas conseguem circular por 5 famílias, e depois disso são destinadas para a reciclagem.

4. Pinatex/ Insecta Shoes


Moda Circular. Fonte: Insecta Shoes

A Pinatex é uma empresa inglesa que cria um material têxtil similar ao couro, mas feito completamente com componentes naturais, usando o abacaxi como matéria prima principal. Para criar esse material, a empresa usa as folhas do abacaxi, que é um subproduto das atividades agrícolas – ou seja, não demanda nenhuma produção adicional, apenas aproveita os restos da produção.

Nas épocas de colheita do abacaxi, as folhas são separadas e suas fibras são extraídas, lavadas e secas ao Sol. Esse material é misturado com  ácido poliláctico (PLA) derivado do milho e passa por um processo mecânico. Para finalizar, são adicionados pigmentos e resinas também naturais, o que deixa o couro colorido e o torna impermeável e durável.

Aqui no Brasil, a marca de sapatos veganos Insecta Shoes tem vários produtos no catálogo feito com o couro da Pinatex. Além disso, a empresa também usa produtos à base de fibra de banana e sola em borracha reciclada.

5. Coleção Ciclos da C&A


Moda Circular. Fonte: C&A Brasil.

Por fim, caminhando para uma escala maior de produção no setor da moda circular, podemos citar o caso da linha da C&A certificada pelo Instituto Cradle to Cradle.

A Coleção Ciclos produz jeans feitos de materiais seguros e totalmente recicláveis, tornando a C&A a primeira marca varejista de moda a conquistar a certificação Cradle to Cradle® nível Gold para peças produzidas no Brasil. 

A coleção oferece diversas opções de denim como calças, shorts, saias e jaquetas. O material é produzido com 100% de algodão mais sustentável, selo obtido com o processo Better Cotton Initiative (BCI) para os tecidos e com certificação de algodão orgânico na origem para as linhas de costura. Além disso, a fabricação do denim usa elastano adaptado ao ciclo biológico e produtos químicos seguros e livres de metais pesados ou outras substâncias tóxicas em peças como botões.

Os jeans foram desenhados para o ciclo biológico, sem a adição de materiais sintéticos ou químicos tóxicos, para poderem ser reciclados sem perda de qualidade ou retornar à biosfera com segurança. 

Se você quiser saber mais detalhes sobre a coleção ciclos da C&A Brasil, a gente recomenda ler nossa entrevista com o Marcelo Lobo, gerente de segurança química e materiais sustentáveis da C&A!

Quer mais exemplos de economia circular?

Nesse post você leu alguns exemplos de moda circular. Agora você pode conhecer exemplos de outras áreas, baixando nosso livro digital gratuito com 28 estudos de caso design e inovação para a economia circular no Brasil e no mundo!

São os projetos que a gente considera mais inovadores e circulares, no Brasil e no mundo – incluindo os critérios por que cada um mereceu entrar nessa lista.

A partir desses exemplos inspiradores, você vai ver como é possível criar produtos e sistemas BONS – e não só menos ruins.

Ou seja: produtos bonitos, funcionais, seguros, efetivos e inteligentes, com efeitos positivos e regenerativos para as pessoas e para o planeta.

Share

1 comentário

  1. Acredito que esse tema é de extrema relevância, já que a indústria têxtil é considerada a segunda mais poluente do mundo, incluindo todo o ciclo de produção, descarte e lavagem das peças.

    Admiro muito os negócios que visam impactar positivamente o ciclo têxtil, o nosso grande desafio é escalar esses negócios de forma a acelerar os resultados!

    Enquanto ex empresária do setor de confecção em Fortaleza e conhecedora profunda das dores e dos gargalos dessa indústria, me coloco à disposição para troca de idéias e apoio na minha região e cidade.

    Vera Saboia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo a postagem

[livro gratuito] 28 estudos de caso:
design e inovação para a economia circular no Brasil e no mundo