Os 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT

Share

Quer conhecer os projetos vencedores do Solve Challenge 2019 do MIT? Leia abaixo e se inspire com as inovações propostas na categoria de Economia Circular, que nossa fundadora Léa Gejer ajudou a selecionar!

O DESAFIO SOLVE

O Solve 2019 Global Challenge foi lançado pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) em fevereiro deste ano, para que criadores e inovadores de todo o mundo respondessem: como as pessoas podem criar e consumir produtos que sejam renováveis, reparáveis, reusáveis e recicláveis?  

As soluções propostas para esta edição do Solve demonstraram gana por mudanças na maneira que produzimos e consumimos hoje. Elas envolvem vários aspectos relacionados à economia circular – incluindo novos materiais, modelos de negócio e técnicas de reciclagem. 

De mais de 300 candidatos, oito projetos incríveis foram selecionados como vencedores do Solve Challenge pela banca dos jurados, da qual a nossa fundadora Léa Gejer participou. Vamos conhecer mais sobre as ideias e soluções selecionadas?

Lembrando que, se você também tem um projeto circular para chamar de seu, as inscrições para o novo Desafio Solve, focado na América Latina, ainda estão abertas! Elas foram extendidas até o dia 19/01, ou seja, este domingo! Veja mais no nosso último post, ou corre para se inscrever direto por aqui.

OS TIMES VENCEDORES DO SOLVE 2019:

AIR-INK

Air Ink - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 - MIT
Imagem: Graviky Labs – Air Ink

Esse projeto, liderado pelo indiano Anirudh Sharma, trata da poluição que vem de combustíveis fósseis – quando queimados, eles produzem partículas ricas em carbono, que poluem o ar.

A ideia por trás da AIR-INK, desenvolvida pela Graviky Labs, é capturar essa matéria-prima para produzir tintas e pigmentos de nível industrial para materiais de impressão de alta qualidade.

A tecnologia funciona pelo retrofit de exaustores e pequenas chaminés, capturando as partículas de carbono e fuligem para transformá-las em pigmentos. Essa pode ser uma vantagem para agentes poluidores, que teriam que pagar pela remoção e gerenciamento dessa poluição. E também traz um benefício para a indústria de impressão e artistas que podem optar por tintas recicladas, reduzindo sua dependência de materiais virgens. 

Air Ink - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 - MIT
Mural na cidade de Nova York foi criado usando marcadores Air Ink feitos de poluição.

ALGRAMO

Algramo - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 - MIT
Imagem: Algramo

A Algramo é uma iniciativa chilena que trata de questões sociais e ambientais de forma simultânea. Seus fundadores notaram que, em comunidades de baixa renda, a compra de itens básicos em grandes quantidades é dificultada por questões econômicas. Então as pessoas acabam adquirem produtos em embalagens menores, o que leva a um maior gasto com itens básicos por família. E, ao mesmo tempo, aumenta o desperdício de embalagens e a poluição ambiental.

A Algramo se propõe a mudar esse quadro com a  construção um sistema de embalagens reutilizáveis de alta tecnologia, permitindo compras a granel em qualquer quantidade. Para isso, utilizam máquinas de vendas conectadas à Internet das Coisas em uma rede de armazéns familiares em bairros periféricos. Essa solução proporciona economia de custos aos clientes, ao mesmo tempo que reduz o desperdício de plástico.

Alguns produtos chegam a ficar 40% mais baratos! E a Algramo estima que já conseguiu impactar 250.000 pessoas, somente em Santiago, que têm acesso a esse sistema.

Algramo - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 - MIT
Imagem: Algramo

BIOCELLECTION

A solução aborda dois grandes problemas do descarte de plásticos. O primeiro é a falta de tecnologia para transformar resíduos plásticos sujos em materiais de qualidade. O segundo é não haver mercado de reciclagem para a maioria dos plásticos mais baratos como o polietileno de alta (HDPE) ou baixa (LDPE) densidade, comumente usados ​​para garrafas e sacolas.

Para criar um mercado para esse material, a BioCellection usa um processo químico para transformar resíduos de polietileno em ingredientes de alto valor. O mesmo material pode ser usado, por exemplo,  para criar produtos como solas de sapatos ou peças de automóveis.

Assim, os ingredientes da BioCellection podem contribuir na fabricação de produtos que geralmente requerem processos com alto consumo de combustível.

Imagem: BioCellection

MYLEA

MYLEA - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT
Imagem: DBS

A empresa Mycotech, da Indonesia, desenvolveu um material que serve como alternativa de alta qualidade ao couro animal, ou ainda aos seus substitutos sintéticos não-recicláveis, como o poliuretano. Essa alternativa é o Mylea, feito de cogumelos –  micélio fúngico – que é cultivado em resíduos agrícolas fibrosos como serragem ou cana-de-açúcar. 

Inspirado pelo processo tradicional de cultura e fermentação da Indonésia, o fungo patenteado da Mycotech cria uma rede de filamentos com as características do couro de vaca, mas com uma pequena fração de sua pegada de carbono.

MYLEA - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT
Imagem: Mylea

QUEEN OF RAW

Ainda que a indústria têxtil seja uma das mais poluentes do mundo, estima-se que US$ 120 bilhões em tecido não-utilizado ficam guardados em armazéns em todo o mundo – ou são queimados ou jogados em aterros, potencialmente contaminando a água potável.

A Queen of Raw  é uma plataforma online que conecta compradores e vendedores de tecido não utilizado. Fábricas e varejistas expõem tecidos “ociosos” para revenda na plataforma, oferecendo aos compradores materiais novos a preços acessíveis.

Os vendedores também assinam um serviço mensal que mede e rastreia suas cadeias de suprimentos, minimizando os resíduos no futuro.

Queen of Raw - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT
Imagem: Queen of Raw

THE RENEWAL WORKSHOP

Essa solução também questiona o modelo linear de produção da indústria têxtil. Tradicionalmente, as grandes marcas só lucram criando novos produtos. Portanto, é necessário apresentar opções que provem que o sistema circular também pode gerar lucro. 

The Renewal Workshop tem como objetivo prolongar a vida útil de roupas e materiais, oferendo serviços para marcas de vestuário e têxteis. Operado por meio de uma plataforma de software, o sistema rastreia dados de produtos existentes. Assim, oferece informações sobre sua vida útil e impactos no meio ambiente e nas finanças da empresa.

Renewal Workshop - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT
Imagem: Renewal Workshop

RHEAPLY

Semelhantemente, o Rheaply também foca sua solução em  uma plataforma de software que rastreia inventário e depreciação. Ela permite aos usuários visualizar, quantificar e utilizar melhor os ativos excedentes ou descartá-los adequadamente.

A intenção é maximizar a reutilização, remanufatura e troca de recursos dentro e entre organizações. Para parceiros menores e sem fins lucrativos, como escolas públicas de ensino fundamental e médio, o software da Rheaply pode ajudar a economizar no orçamento através do compartilhamento de equipamentos e conhecimento com organizações maiores, expandindo a rede de relacionamentos da comunidade.

Rheaply - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT
Imagem: Build in CHI

XILINAT

A cadeia do açúcar traz problemas para todas as pessoas envolvidas. Quem o cultiva é pago injustamente e, no México, muitas vezes vive em extrema pobreza. Para aqueles que o consomem, o açúcar exacerba problemas de saúde, como diabetes e obesidade. Além disso, os substitutos existentes são caros, de sabor ruim e prejudiciais de outras maneiras.

Essa solução do México usa um processo patenteado para transformar resíduos agrícolas em um substituto de açúcar de alta qualidade. O Xilinat tem aparência e sabor idênticos ao açúcar. Contudo, diferente do açúcar, pode ser consumido por diabéticos, tem poucas calorias e não causa cáries.

Embora a produção de xilitol tenha historicamente envolvido uma série cara de reações químicas, a abordagem do Xilinat é muito mais barata. Como sua produção utiliza resíduos que se acumulariam ou seriam incinerados, ela ainda alimenta a economia local para pequenos fazendeiros.

Xilinat - um dos 8 projetos vencedores do Solve Challenge 2019 – MIT
Imagem: Xilinat

E você? Qual projeto achou mais interessante? Conta aqui nos comentários!

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Continue lendo a postagem
NOVO CURSO

Sustentável ou circular?

Como fazer diferente, com critérios e com alegria!

Neste curso pioneiro, você vai exercitar um novo olhar para os desafios da sustentabilidade, com inspiração e critérios para desenhar um futuro circular e regenerativo, celebrar nossa presença neste planeta e nosso poder de transformação!

Deixe seus dados para entrar na lista de interesse e ficar sabendo assim que abrirem as inscrições.